BIOGRAFIA - O VÔO DE FOGO DO POETA TERMINAL

Três da madrugada, quase nada/ Na cidade abandonada/

Nessa rua que não tem mais fim/ Três da madrugada tudo e nada /

A cidade abandonada/ E essa rua não tem mais /
Nada de mim.../Nada /Noite alta, madrugada/

Na cidade que me guarda /E esta cidade que me mata /

De saudade/ É sempre assim...